Segurança veicular e inovações tecnológicas foram temas destacados pela Arteb durante o Congresso SAE Brasil 2019

Os trabalhos técnicos da Arteb abordaram segurança veicular e inovação tecnológica sob três perspectivas: faróis principais na visibilidade diurna, faróis auxiliares em situações de neblina e sistemas de regulagem.

A Arteb, uma das principais fabricantes globais de sistemas automotivos de iluminação e sinalização, empresa genuinamente brasileira e com 85 anos de atuação, destacou-se na última edição do Congresso SAE Brasil 2019, em outubro, com a aprovação e apresentação de três trabalhos técnicos. “Nossa expertise de engenharia e os nossos esforços em P&D possibilitaram trazer, para este evento, temas de enorme relevância para a companhia e para o segmento como um todo”, afirma Carlos Moura, Coordenador de pesquisa e desenvolvimento da Arteb, autor e apresentador dos trabalhos. A participação no evento reforça o compromisso da empresa no aprimoramento do debate técnico nacional numa ação abrangente que vai além de produzir autopeças, sobretudo ao problematizar e articular, em suas pautas, questões relativas à legislação de trânsito, às normas técnicas, à harmonização de mercados e ao papel central dos sistemas automotivos de iluminação neste contexto.

O primeiro trabalho, realizado com a LUMILEDS, denominado “Inovações no mercado de fontes luminosas para a difusão do farol auxiliar de neblina”, trata da importância do farol de neblina para a segurança veicular e as dificuldades de sua implementação no país sobretudo o caráter não obrigatório de seu uso e a barreira econômica que tende a onerar o custo do veículo, penalizando o consumidor. “A conclusão é a de que hoje, com a tecnologia LED e as soluções de baixo custo, é possível implementar este dispositivo sem, necessariamente, encarecer o veículo”, comenta Moura, ressaltando que uma possível obrigatoriedade de uso pelo enorme volume da frota também poderá reduzir o ônus estimado, prevalecendo a segurança.

O segundo estudo, realizado em parceria com a NICHIA, intitulado “Visibilidade diurna sob os aspectos do uso alternativo de faróis principais”, discute, segundo Moura, a lei do farol baixo e indica que, com a tecnologia LED, o farol fica mais seguro, energeticamente eficiente e sustentável. Também aborda as normas brasileiras e norte-americanas, tendo em vista a crescente harmonização de mercados. Sugere, dentre outras coisas, a reestilização de faróis existentes como alternativa para a difusão do LED e a incorporação da DRL (Lanterna de rodagem diurna), o que adequaria projetos nascidos na transição da Lei que estabelece o uso diurno do farol baixo em rodovias e, adicionalmente, daria uma sobrevida a determinadas plataformas com um novo design de farol, potencializando – consequentemente – o design do veículo.

O terceiro trabalho com o título “Questões relativas à regulagem de faróis automotivos convencionais”, tratou do conceito atual de regulagem do farol, mostrando suas deficiências, mais precisamente a perda de alcance do farol em função do motor de regulagem com ajuste no painel do veículo. O trabalho sugeriu uma alternativa tecnológica que minimiza estes impactos: motor com regulagem autônoma. “Também se conclui, com isso, nosso pioneirismo em mostrar ao mercado, de forma detalhada, a necessidade de modernização dos faróis e a nossa capacidade de já ofertar uma solução em curto prazo”, ressalta Moura.

0 respostas

Deixe um comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *